Otimização de processos de TI: como o ITSM aumenta a eficiência operacional  

Otimização de processos de TI: como o ITSM aumenta a eficiência operacional  

Na era digital, na qual a tecnologia permeia cada aspecto dos negócios, a eficiência operacional e a gestão de riscos emergem como elementos vitais para o sucesso empresarial.  

Neste cenário, o Gerenciamento de Serviços de TI (ITSM) desponta como uma solução crucial, especialmente para organizações que enfrentam desafios relacionados a processos desorganizados e a necessidade de integração entre diferentes equipes.  

O ITSM não é apenas uma abordagem para manter as operações de TI funcionando suavemente; é uma estratégia integral que transforma a TI de um mero suporte técnico para um parceiro de negócios alinhado aos objetivos organizacionais.  

Neste artigo vamos explorar como o ITSM pode ser o alicerce para otimizar fluxos de trabalho, aumentar a eficiência operacional e gerir riscos de maneira eficaz, alavancando as operações de TI para um patamar de excelência e inovação. 

Funcionalidades do ITSM e sua aplicação na otimização de processos de TI 

As funcionalidades oferecidas pelo ITSM são projetadas não apenas para manter os sistemas de TI funcionando eficientemente, mas também para otimizar todos os aspectos dos fluxos de trabalho de TI.  

Na prática, o ITSM desempenha um papel vital na resolução de vários desafios enfrentados pelos profissionais de TI. Por exemplo: 

Gerenciamento de Incidentes: reduz drasticamente o tempo de inatividade com uma resposta rápida e eficiente a incidentes.  

O ITSM ajuda a identificar, analisar e corrigir problemas rapidamente, garantindo a continuidade dos serviços de TI. 

Gestão de Problemas: Com o ITSM, é possível implementar soluções definitivas para prevenir a recorrência de falhas e melhorar a estabilidade do sistema. 

Gestão de Mudanças: Permite administrar mudanças de maneira organizada e controlada.  

O ITSM fornece um framework para avaliar, autorizar e implementar mudanças de TI, minimizando interrupções e maximizando os resultados positivos. 

Gestão de Ativos e Configuração: O ITSM oferece um controle detalhado sobre os ativos de TI. Ele auxilia na gestão eficiente dos recursos de TI, assegurando que estão sendo usados de maneira otimizada e em conformidade com as políticas e regulamentações. 

Gerenciamento de Liberação e Implantação: Permite implementar novos serviços e atualizações de forma eficiente e sem erros.  

O ITSM assegura que as liberações sejam planejadas, testadas e executadas de maneira que suporte os objetivos de negócios. 

Melhoria Contínua do Serviço: Oferece uma abordagem proativa para melhorar constantemente os serviços de TI.  

Com feedbacks e análises regulares, o ITSM impulsiona inovações e aperfeiçoamentos contínuos nos serviços de TI. 

Catálogo de Serviços: Fornece aos usuários uma visão clara dos serviços disponíveis e como acessá-los.  

O ITSM ajuda a organizar e comunicar as opções de serviços de TI, melhorando a experiência do usuário. 

Gestão de Conhecimento: O ITSM promove uma cultura de aprendizado e compartilhamento, permitindo que a equipe de TI responda mais rapidamente e com maior eficácia às demandas. 

Grupo Solucionadores: O ITSM permite organizar os tickets abertos e direcionar de forma automática, cada chamado a seu grupo resolvedor, trazendo automação na resolução de problemas e diminuindo o tempo de resposta. 

Parceria Altasnet e ServiceNow: mais eficiência, automação e otimização para os processos de TI da sua empresa  

A adoção do ITSM, com suas práticas avançadas e abordagem focada no cliente, é fundamental para empresas que buscam melhorar a eficiência operacional e a satisfação do cliente.  

Essa importância é ainda mais evidente com a parceria entre Altasnet e ServiceNow, na qual a expertise da Altasnet na implementação de soluções de TI se combina com a inovação tecnológica da ServiceNow.  

Esta parceria oferece uma solução poderosa e adaptada às necessidades específicas do setor de TI, assegurando um desempenho otimizado e uma entrega de serviços mais eficiente. 

Quer saber mais sobre como o ITSM, impulsionado pela parceria entre Altasnet e ServiceNow, pode transformar sua organização de TI?  

Entre em contato conosco para uma consulta detalhada e descubra como podemos ajudá-lo a alcançar a excelência operacional em TI. 

Do custo à qualidade: os benefícios surpreendentes da TI como Serviço 

Do custo à qualidade: os benefícios surpreendentes da TI como Serviço 

No dinâmico mundo empresarial de hoje, a eficiência e a inovação tecnológica não são apenas desejáveis – são essenciais. Aqui entra a TI como Serviço (ITaaS), uma solução inovadora que combina custo e qualidade de forma surpreendente. 

Neste post, vamos explorar como a ITaaS pode revolucionar a infraestrutura tecnológica de sua empresa, tornando-a mais ágil, segura e economicamente viável. 

O que é TI como Serviço (ITaaS)? 

ITaaS é um modelo operacional em que o provedor de TI entrega serviços de tecnologia conforme a demanda do cliente. 

Diferente dos modelos tradicionais, nos quais a TI é tratada como um departamento fixo, a ITaaS opera com uma mentalidade de serviço, adaptando-se às necessidades e objetivos específicos da empresa. 

Neste modelo, o provedor de TI entrega serviços de tecnologia sob demanda e de forma personalizada. Isso significa que as empresas podem escalar os serviços para cima ou para baixo conforme suas necessidades, evitando o excesso de capacidade ou infrautilização de recursos.  

Com este modelo, você paga pelo que consome, tornando os custos de TI mais previsíveis e alinhados com o crescimento do negócio. 

Principais benefícios da TI como Serviço 

Um dos principais benefícios do ITaaS é sua capacidade de adaptação rápida.  

À medida que os objetivos e necessidades da empresa mudam, os serviços de TI podem ser ajustados em tempo real, permitindo uma resposta ágil às tendências de mercado e oportunidades de negócios.  

Isso oferece uma vantagem competitiva significativa, pois as empresas podem implementar novas tecnologias e serviços mais rapidamente do que através de modelos tradicionais. 

Além disso, o ITaaS muitas vezes incorpora uma abordagem de serviço gerenciado, o que significa que os provedores assumem a responsabilidade de gerenciar a infraestrutura de TI, garantindo manutenção, atualizações e suporte contínuo.  

Isso libera as empresas para se concentrarem em suas competências principais, enquanto especialistas em TI cuidam do funcionamento e otimização da tecnologia. 

Redução de custos operacionais 

Um dos maiores atrativos da ITaaS é a significativa redução de custos.  

Ela minimiza os gastos diretos, como a compra de hardware e software, e os indiretos, como manutenção e atualizações.  

Com a ITaaS, você paga pelo que usa, permitindo um controle de custos mais eficiente e um retorno sobre o investimento mais rápido. 

Aumento da qualidade e inovação 

A ITaaS proporciona acesso a tecnologias de ponta e inovações sem a necessidade de grandes investimentos iniciais.  

Isso significa que sua empresa pode se manter atualizada com as últimas tendências tecnológicas, melhorando a qualidade e a eficiência dos serviços. 

Flexibilidade e Escalabilidade 

A natureza flexível da ITaaS permite que as empresas adaptem rapidamente sua infraestrutura tecnológica às mudanças nas demandas do mercado.  

Isso é crucial para manter a competitividade e responder de forma ágil às oportunidades de crescimento. 

Segurança e Compliance 

Com a ITaaS, a segurança dos dados e a conformidade com normas regulatórias são reforçadas.  

Provedores de ITaaS empregam as melhores práticas de segurança e estão constantemente atualizados com as regulamentações mais recentes, garantindo que sua empresa esteja sempre protegida e em conformidade. 

Parceria estratégica em ITaaS: o diferencial para o sucesso  

A escolha de um parceiro especializado em TI como Serviço é crucial para o sucesso empresarial na era digital.  

Uma empresa especialista, como a Altasnet, oferece não apenas a expertise e experiência necessárias, mas também uma parceria estratégica que permite às empresas focar em seu core business.  

Com suporte proativo e soluções personalizadas, um parceiro de ITaaS atua como um catalisador para inovação e crescimento, garantindo que a infraestrutura de TI da sua empresa seja sempre segura, eficiente e alinhada com as suas metas de negócio. 

A Altasnet é líder no fornecimento de soluções personalizadas de ITaaS, posicionando-se na vanguarda da inovação tecnológica.  

Entre em contato com o nosso time de especialistas e saiba como podemos ajudar a sua empresa na jornada de transformação digital, equilibrando custo e qualidade para assegurar o sucesso empresarial. 

O que é a gestão de segurança da informação?

O que é a gestão de segurança da informação?

Quando lemos as notícias sobre tecnologia, não é difícil encontrar casos de vazamento e roubo de dados preciosos de uma determinada empresa. Eles acabam por comprometer não só os lucros, mas também mancham a reputação da companhia entre os seus clientes e o mercado em geral.

Por isso, investir na gestão de segurança da informação é uma ação que não pode ser negligenciada atualmente. Neste post, falaremos um pouco mais sobre o conceito e apresentar as boas práticas para a implementação das políticas.

Boa leitura!

O que é a gestão de segurança da informação?

Primeiro, é importante definir o próprio conceito de segurança da informação. Ele se relaciona com a proteção de um determinado de conjunto de dados. A finalidade é preservar o valor dessas informações e mantê-las fora do alcance de pessoas não autorizadas, como os temidos hackers.

Nesse sentido, a gestão de segurança da informação é a adoção direta de estratégias, métodos e ferramentas para garantir a integridade dos dados e impedir vazamentos e ataques à rede corporativa, por exemplo. Os gestores têm um papel fundamental de supervisão, já que cabe a eles definir as normas e as diretrizes que serão adotadas por todos.

Portanto, eles serão os responsáveis pelo planejamento das estratégias e formas de acompanhamento. Para reforçar as defesas, esse profissional pode buscar consultoria especializada na área de TI, assim como dicas de treinamento para seus colaboradores.

Outro destaque importante é que a segurança da informação conta com quatro pilares, que resumem bem as prioridades de uma política de proteção:

  • Confidencialidade;
  • Integridade;
  • Disponibilidade;
  • Autenticidade.

Quais são as suas boas práticas?

Agora que falamos do conceito de gestão de segurança da informação, conheceremos as melhores maneiras de se proteger.

Usar softwares originais e mantê-los atualizados

Antes de tudo, é muito importante manter os sistemas operacionais atualizados, assim como usar versões originais. Com isso, será possível contar com as correções e updates desenvolvidos pelos criadores dos programas. Além disso, as atualizações são cruciais para manter a proteção geral da rede corporativa, por exemplo. Isso porque os hackers costumam atacar aplicações que ainda não receberam correções, justamente pela vulnerabilidade causada pelo fato de que estão obsoletas.

Contar com ferramentas para gestão de incidentes

Uma política de governança que priorize a proteção das informações e dos arquivos é crucial. Muitas empresas acabam por focar exclusivamente nas questões de conformidade, garantindo a obediência aos regulamentos digitais (como no caso da LGPD). Embora isso seja importante, não é o suficiente.

Portanto, a empresa deve adotar atitudes que garantam a proteção dos dados. Além de bons softwares, como os antivírus, é uma boa ideia contar com a ajuda de consultores em tecnologia, que auxiliarão os colaboradores a assimilar um comportamento mais responsável ao lidar com informações digitais.

Controlar os acessos de maneira rígida

Em uma empresa, é comum que nem todos os funcionários tenham acesso a arquivos importantes. Esse já é um primeiro passo valioso, mas os gestores também devem registrar todos os níveis e os controles de acesso em vigor, para garantir um acompanhamento mais próximo.

Isso evita os enganos — um funcionário de um setor que tenha acesso a documentos de outro departamento totalmente diferente, por exemplo. Dessa forma, a empresa reduz os riscos associados a senhas roubadas e a tentativas de invasão por parte dos hackers.

Fazer backups

O backup é uma prática essencial por dois motivos: garante que certos arquivos sejam preservados e também facilita a consulta aos documentos. Além disso, em caso de extravio de notebooks ou discos rígidos externos, por exemplo, essa cópia serve para assegurar a disponibilidade.

Uma boa ideia é priorizar o salvamento na nuvem, que é imune aos extravios e, ainda, pode ser controlado pelo controle de acesso. Contudo, os gestores devem garantir que os backups sejam feitos periodicamente, preferencialmente por meio de um calendário específico.

Outra boa surpresa do backup na nuvem é que é possível programar vários backups ao dia, o que é importante para manter arquivos sempre atualizados e facilitar o compartilhamento, até mesmo com colaboradores que não estejam em campo.

Implementar uma política de segurança

A segurança digital da sua empresa não pode funcionar na base do “boca a boca” — isto é, sem o estabelecimento e o registro de medidas periódicas. É crucial que os gestores realmente adotem uma política preventiva, que são importantes até mesmo para evitar possíveis paralisações dos trabalhos.

Parar tudo por conta de falhas na segurança digital significa levar prejuízo, uma vez que a capacidade da empresa de produzir resultados e entregar soluções para os clientes fica comprometida. Por isso, todas as medidas de proteção (como o estabelecimento de controles de acesso) devem fazer parte de um registro bem definido.

Isso garante que os gestores façam com que os seus colaboradores assimilem a gestão de segurança da informação, transformando a cultura organizacional do negócio. Com uma política bem definida e repassada aos funcionários de forma transparente, fica mais fácil tornar esse gerenciamento um pilar da empresa.

Treinar e conscientizar os trabalhadores

Por fim, não poderíamos deixar de lado a importância da conscientização e do treinamento das equipes internas. Afinal, são essas pessoas que estarão constantemente acessando os equipamentos e a rede corporativa, então eles não devem ser negligenciados pelos gestores.

Vale dizer que os programas de treinamento em gestão de segurança da informação mais bem-sucedidos não contam apenas com a participação dos funcionários operacionais, mas incluem todos os níveis da empresa. Isso porque uma abordagem mais completa é a melhor forma de construir uma cultura de segurança digital em toda a organização.

Assim, todos os colaboradores não só se conscientizarão sobre o valor de adotar boas práticas, como assumirão esse comportamento na rotina diária. Uma das principais brechas para invasões e ações de hackers é o erro humano — o que não acontece com frequência com pessoas que entendam do uso de ferramentas digitais.

Como pudemos ver no artigo, a gestão de segurança da informação é imprescindível para empresas que desejam manter (e reforçar) suas defesas digitais. Afinal, como a tecnologia está presente em diversos tipos de negócio, colocar os próprios sistemas em risco acaba por prejudicar a empresa como um todo.

Gerenciamento de TI: entenda sua importância e como fazer

Gerenciamento de TI: entenda sua importância e como fazer

O gerenciamento da infraestrutura de TI é o processo que envolve a gestão de todos os recursos, componentes e equipes de TI em uma empresa. Esse setor realiza tarefas como a criação das políticas de TI da corporação, compra e manutenção de equipamentos, gerenciamento de dados do negócio, escolha do perfil dos profissionais da área, contato com fornecedores etc.

Com a transformação digital, o gerenciamento de TI passou a estar mais ligado às estratégias da empresa, com foco no núcleo do negócio, integrando todos os setores. Com o avanço das tecnologias, muitas empresas têm terceirizado a sua gestão de TI, reduzindo custos e aumentando a eficiência dos serviços, ao mesmo tempo que podem focar em seu core business. Independentemente se é executada dentro ou fora da empresa, a gestão de TI moderna é balizada por alguns pilares.

Neste texto, entenda como é possível otimizar o gerenciamento de TI de uma empresa. Confira!

Invista em monitoramento

O gerenciamento de TI reativo, aquele em que é necessário acontecer um problema para que o setor entre em ação, não é mais viável em tempos de transformação digital. Para ter uma gestão mais efetiva, a melhor solução é o investimento em softwares de monitoramento e gestão remota de TI.

Com a utilização dessa ferramenta, os profissionais do setor passam a ter uma visão mais ampla de todos os ativos da empresa, podendo fazer inventários e antecipar os problemas, antes que eles virem uma bola de neve. É importante também, que esse sistema de gestão e monitoramento remoto ofereça a possibilidade de automação de processos, como o backup e atualizações.

Busque a proatividade

Complementando o tópico acima, uma boa gestão de TI, em tempos de transformação digital, é aquela que trabalha com base na antecipação, ou seja, as ações devem ser sempre planejadas. A manutenção da disponibilidade da infraestrutura de TI é muito importante para a produtividade da empresa como um todo, logo, a margem de erros, que provoca imprevistos, deve ser reduzida ao máximo.

Invista em um serviço de backup

Por melhor que seja a sua equipe de TI e as tecnologias que você utiliza, nenhum sistema está 100% seguro. Por isso, dentro das dicas para otimização do gerenciamento da infraestrutura de TI, não poderíamos deixar de colocar uma de segurança.

Contar com um serviço de backup é primordial para que os dados da empresa estejam seguros e para que haja uma pronta recuperação das operações, caso aconteça um desastre. Esse backup deverá acontecer de acordo com o planejamento do gestor, levando em conta a periodicidade e o ambiente em que os dados serão armazenados.

Esperamos que após essas dicas, vocês consigam entender a importância e saiba como otimizar o gerenciamento de TI em sua empresa. Lembre-se sempre de que o gestor de TI moderno não pode ficar com a cabeça “atolada” apenas em seu setor. Para entregar as melhores soluções, ele deve estar a par dos objetivos estratégicos da empresa. Dessa maneira, a sua gestão poderá melhorar o desempenho da equipe de TI, reduzir custos e aumentar a vida útil dos ativos de TI.

Gostou do post? Temos mais uma dica para otimizar a sua gestão de TI: entenda o que são indicadores de TI e como escolhê-los.

A Gestão de TI: como realizar o planejamento estratégico da área?

A Gestão de TI: como realizar o planejamento estratégico da área?

A transformação digital e a pandemia que assola o mundo estão mudando os paradigmas do setor de TI nas empresas. A ideia de um setor de TI reativo, que só age quando há a necessidade de manutenção de ferramentas digitais e suporte, ficou no passado. Em vez de pensar apenas em reatividade e prevenção, o foco deve ser a gestão de TI.

Nesse momento de mudanças radicais, imposto pelo coronavírus, as empresas que estão mais preparadas e com uma boa gestão de TI conseguiram se adaptar melhor ao novo momento. O conceito chave dessa gestão é o planejamento, para que os caminhos do TI sejam aderentes aos valores e interesses da organização.

Neste post, vamos entender o que é a gestão de TI, o perfil do profissional líder dessa área e como a sua empresa pode dar os primeiros passos para fazer um bom planejamento de TI. Confira!

O que é gestão de TI?

Podemos definir gestão da Tecnologia da Informação como a administração de recursos tecnológicos que são utilizados no processo de tratamento de informação em uma empresa.

Dentro desse processos estão inseridos a coleta, armazenamento, processamento, estruturação, compartilhamento e avaliação dos dados. Não importa as ferramentas, softwares ou ambiente, pois, no final das contas, tudo isso é preparado para garantir um bom fluxo de dados.

Além de assegurar a fluidez da parte operacional relacionada aos dados, o setor de TI contribui entregando as ferramentas certas para que a gestão da empresa utilizem os dados para retirar os insights precisos para a gestão.

A gestão de TI é sustentada por três pilares, que são:

  1. Pessoas que participam dos processos que envolvem o tratamento das informações.
  2. Processos responsáveis pela estruturação da área de Tecnologia da Informação.
  3. Tecnologia que fornece o suporte para que esses processos sejam executados.

Além desses fatores, podemos dizer que a gestão de TI também abrange:

  • A manutenção do desempenho de serviços;
  • A promoção da transformação digital na corporação;
  • O trabalho em prol da satisfação dos usuários e clientes;
  • A gestão da equipe de TI;
  • A gestão dos riscos;
  • O fornecimento de suporte aos processos organizacionais;
  • O alinhamento dos processos de TI aos objetivos estratégicos da empresa.

O que faz um gerente de TI?

Também conhecido como CIO, o gerente de TI é o profissional responsável por liderar a equipe de TI, fazendo a condução dos trabalhos de forma estratégica. Para que isso seja feito de forma organizada, o dia a dia do gerente de TI deve envolver uma série de atividades, como:

  • Fazer o planejamento estratégico de TI;
  • Garantir que o setor de TI esteja alinhado às estratégias de negócios;
  • Gerenciar a equipe de TI;
  • Dar suporte para os projetos da área;
  • Definir a governança de TI;
  • Garantir a disponibilidade dos serviços;
  • Monitorar os indicadores;
  • Criar os projetos de garantia da segurança da informação;
  • Solicitar e distribuir os recursos de TI.

É importante ressaltar também que essas atribuições são de responsabilidade do gestor de TI, porém, ele não faz tudo sozinho. Como são atividades relacionadas ao negócio como um todo, o profissional deverá contar com o apoio do alto escalão da empresa.

Por isso, é importante que o gestor de TI moderno, além do conhecimento na área, seja um profissional de liderança multidisciplinar, com foco em gestão e que esteja pronto para avaliar os mais diferentes cenários.

Como fazer uma boa gestão de TI no “novo normal”?

Agora que já sabemos o que é a gestão de TI e as atribuições de um gerente do setor, vamos entender melhor como executar o planejamento estratégico dessa gestão nesse novo momento imposto pelo coronavírus. São passos iniciais para que sua empresa encontre o caminho adequado para alinhar o setor de Tecnologia da Informação às suas necessidades. Confira!

Defina o objetivo do planejamento estratégico

Apesar de parecer óbvio, essa primeira dica é de extrema importância, afinal, o termo “gerenciamento de TI” é muito abrangente e pode ser adaptado de acordo com os objetivos e necessidades de cada empresa.

Todo bom gestor sabe que começar um planejamento estratégico sem ter um objetivo é um esforço em vão. O setor de Tecnologia da Informação só será eficiente quando trabalhar com foco em objetivos específicos, por exemplo:

  • Otimizar os processos
  • Reduzir custos;
  • Aumentar a produtividade;
  • Otimizar a segurança;
  • Incrementar a qualidade das entregas;
  • Fazer as mudanças necessários para adaptar a empresa o novo normal;
  • Buscar novas oportunidades de mercado.

A empresa pode trabalhar com foco em uma ou mais metas, sejam elas de curto, médio ou longo prazo. O foco aqui não é o ganho puro e simples que virá no futuro, mas que a empresa tenha um caminho a seguir e que norteie o planejamento.

Avalie a atual situação da empresa

Outro fator importante para uma boa gestão de TI é a avaliação da situação real da empresa. O planejamento precisa levar em conta o levantamento da infraestrutura de TI e das demandas de cada departamento da empresa e o que é necessário adaptar na forma de conduzir os negócios.

O objetivo é identificar possíveis gargalos de produção, por meio de um inventário de ativos que permita a identificação de eventuais ferramentas que já não entregam a eficiência necessária para as tarefas que executam. É necessário entender o que precisa ser modernizado para automatizar e executar o TI na velocidade dos negócios digitais.

É importante também que seja avaliado o andamento da sinergia no trabalho colaborativo entre os setores. Durante esse processo, é essencial que o gestor tenha em mente que uma nova estratégia de TI dá a oportunidade para que haja uma mudança na cultura corporativa e na forma de trabalho.

Analise o mercado e seus concorrentes

Um bom planejamento inclui sair da própria “bolha” e olhar também para fora da empresa, principalmente para os concorrentes diretos.

Saber quais tecnologias eles estão utilizando e como eles estão sendo usadas pode dar uma vantagem competitiva para a sua empresa. É sempre importante lembrar que o setor de TI é primordial para as empresas que querem se destacar em seus segmentos.

Observar os modelos bem-sucedidos pode dar algumas pistas do que está por vir no setor. Isso significa que, além de observar a concorrência, é importante prestar atenção ao seu próprio público e aos hábitos das pessoas que não consomem o seu produto ou serviço.

A velocidade com que surgem as inovações no mundo do TI é bem mais rápida do que no ambiente “analógico” — e essas transformações causam impactos importantes na vida das pessoas.

Acompanhar esses processos é uma maneira de impedir que sua empresa fique defasada, enxergando as oportunidades de atrair novos nichos e ganhar vantagens competitivas de curto prazo.

Engaje toda a empresa nesse planejamento

Já falamos sobre a necessidade de uma mudança de cultura corporativa para que a gestão de TI seja bem implementada, certo? Para que isso seja possível é importante que os colaboradores se sintam engajados nesse processo.

Por isso, é importante que o gestor, depois de elaborar o planejamento, deixe aberto para os colaboradores para que eles possam entender como será e para que eles opinem sobre os processos — afinal, serão eles os mais afetados pelas mudanças.

Leve todas as opiniões em conta, mesmo que venha de pessoas leigas, afinal, bons insights podem surgir de quem tem uma visão externa, sem os “vícios” de quem convive todos os dias com uma determinada área. Crie programas de sugestões, com premiações e incentivos para que os colaboradores se sintam parte do processo de gestão e se engajem no processo de melhoria contínua.

Além disso, se necessário, invista em treinamentos, pois o engajamento dos colaboradores é uma excelente maneira de prepará-los ao máximo para que essa estratégia seja bem-sucedida desde o primeiro dia.

Busque soluções para o “novo normal”

O termo novo normal pode até causar uma certa estranheza, se algo é normal, por que deveria ser novo? Mas estamos falando da retomada consciente das atividades nesse período de pandemia com todos os aprendizados que a crise nos dá, ou seja, em um novo contexto.

Há uma necessidade emergencial das empresas em se transformarem digitalmente, com as novas necessidades do negócio, adaptação para lidar com funcionários e clientes remotos e o impacto direto no tamanho dos times de TI. Todas essas circunstâncias requerem adaptação, tais como:

  • Mudar a forma como conduzir os negócios;
  • Modernizar e automatizar TI;
  • Operar de serviços de alta eficiência;
  • Executar TI na velocidade dos negócios digitais.

A transformação digital é esse novo normal, pois deixa uma base para uma mudança da cultura organizacional nas empresas, permitindo uma adequação em um cenário onde não há mais a possibilidade de volta aos padrões anteriores. A manutenção da eficiência, a proteção dos ambientes, a adaptação das operações e a reinvenção de posicionamento de marcado, serão desafios cada vez mais proeminentes e cabe a gestão de TI liderar esse processo.

Neste post, vimos como é importante que a empresa tenha uma boa gestão de TI. A transformação digital mudou o setor de Tecnologia da Informação de patamar dentro da empresa, deixando de ser uma área meramente técnica para se tornar um dos pilares para o crescimento do core business.

Sendo assim, podemos dizer que um bom gerenciamento de TI também significa uma boa gestão dos negócios. Se a sua empresa ainda não sabe como começar, uma boa solução é contar com uma empresa parceira, especializada em planejamento estratégico e que ofereça soluções que contribuam para essa evolução.

Gostou do post? Então, ajude-nos a divulgá-lo compartilhando com seus amigos e colaboradores suas redes sociais.

Entenda a relação entre gestor de TI e a transformação digital

Entenda a relação entre gestor de TI e a transformação digital

Que a transformação digital veio mudar o patamar das empresas, ninguém duvida. É um processo irreversível que possibilita às empresas um crescimento em três quesitos principais: ganho de produtividade, desempenho dos sistemas e otimização do atendimento com novos canais.

Contudo, a verdade é que a transformação digital não é um processo que acontece por si só, ela precisa ser estimulada e implementada. É natural que o início desse processo se dê no setor de tecnologia da informação e, nesse cenário, uma boa gestão de TI faz toda a diferença.

Neste post, vamos entender melhor o que é transformação digital e como uma boa gestão de TI pode acelerar e aprimorar esse processo. Confira!

Afinal, o que é transformação digital?

Esse é um termo que está muito em voga nos últimos anos, mas você sabe o que exatamente ele significa? A verdade é que não existe uma definição padronizada, mas podemos definir a transformação digital como o processo de adoção de tecnologias disruptivas. O foco principal está na otimização dos processos operacionais, na evolução dos modelos de negócios e no aprimoramento da experiência do consumidor.

Em resumo, podemos dizer que a transformação digital visa a digitalização de tudo que for possível, mas sempre com um objetivo: tornar as empresas e pessoas mais inteligentes e competitivas. Para isso, a transformação digital tem como base algumas tecnologias já estabelecidas, como a computação em nuvem.

Essa tecnologia democratizou a escalabilidade de recursos computacionais, permitindo a criação e a evolução de ferramentas tecnológicas para os mais variados fins. Ainda, a nuvem permite a virtualização de servidores, tornando a gestão de TI nas empresas muito mais focada nos objetivos de negócios e menos preocupada com a manutenção da infraestrutura.

A mobilidade é outro pilar da transformação digital e se provou extremamente necessária com a pandemia do coronavírus. Com boa parte dos profissionais migrando para o home office, foi o uso de softwares SaaS — aliado aos dispositivos de acesso móvel, como notebooks, tablets e smartphones — que facilitou essa mudança repentina.

Também, podemos destacar outros conceitos importantes, como o Big Data, que se refere ao volume de dados que são produzidos e a velocidade com a qual essas informações são criadas. Esses dados servem de base para a criação de uma série de estratégias dentro das empresas. A internet das coisas modifica a maneira como as pessoas se relacionam com seus objetos no dia a dia e no gerenciamento das empresas.

Qual deve ser o papel do gestor de TI na transformação digital?

Agora que já temos uma base sobre o que é transformação digital, vamos entender o papel do gestor de TI na implementação desse processo dentro da empresa. Esse profissional tem a missão de viabilizar a implementação das soluções tecnológicas que atendam às demandas da companhia.

Quer entender a relação entre o gestor de TI e a transformação digital? Continue lendo!

Identificar as ferramentas certas para a empresa

Não é porque surge uma tendência tecnológica por dia que você deve adotar todas. O gestor de TI é o profissional responsável por avaliar as novidades e identificar aquelas que têm potencial para agregar valor aos negócios. Também, o profissional deve ter feeling para identificar uma combinação de tecnologias, como a inteligência artificial com o uso de dados, por exemplo, que permite a automação da análise de informações.

Isso requer do gestor, além de uma atualização constante sobre as novas tendências tecnológicas, a identificação dos problemas que possam ser resolvidos por elas. Nesse cenário, a comunicação com os gestores dos outros setores da empresa é primordial.

Reduzir custos sem perder qualidade

Um dos principais desafios dos gestores de TI é reduzir custos sem perder qualidade e produtividade. A transformação digital oferece ferramentas que permitem justamente conseguir esse objetivo. Não falamos apenas de cortar despesas e manter o nível atual, mas de aumentar o desempenho.

A adoção da computação em nuvem, por exemplo, além de permitir a redução de uma série de custos com manutenção, espaço e energia elétrica, possibilita a escalabilidade instantânea e libera os profissionais para atividades mais estratégicas. A automação permite a redução de retrabalhos e erros, além de tornar os processos mais rápidos e corretos. Com a redução de tarefas burocráticas e repetitivas, a equipe pode ser reduzida e os profissionais realocados em outros setores.

Entender o papel da tecnologia no ambiente corporativo

Cada empresa usa a tecnologia de uma maneira diferente, com objetivos variados. Algumas estão em busca de mais flexibilidade, outras desejam aumentar a performance e a inovação. Entender esses fatores é um passo importantíssimo para otimizar o papel do setor de TI na rotina da empresa.

Quando o gestor sabe como essa rotina é apresentada, fica bem mais fácil para ele priorizar os investimentos que melhorarão o dia a dia. A partir desse momento, a visão que ele terá sobre o que a empresa deve fazer para atingir os seus objetivos será muito mais precisa.

Dialogar com a equipe

Dialogar com os colaboradores, que usam as soluções tecnológicas no dia a dia, é a melhor maneira de identificar as demandas e os gargalos que precisam ser sanados. Nesse cenário, cabe ao gestor abrir um canal de comunicação direta com esses profissionais, seja por meio de caixa de sugestões ou por reuniões de alinhamento de ideias — isso vai depender muito do tamanho da equipe.

Deixar que os colaboradores sejam agentes da transformação digital na empresa, além de tornar a adoção de ferramentas novas um processo mais certeiro, aumenta o engajamento dos profissionais, que se sentirão parte do processo de inovação.

Como vimos, a transformação digital já deixou de ser uma tendência e se tornou uma necessidade para as empresas que querem se manter competitivas. Nesse cenário, o gestor de TI se torna o responsável pela implementação desse processo, cabendo a ele a avaliação dos cenários e a boa escolha dos fornecedores de tecnologia.

Altasnet está há 18 anos no mercado de TI, oferecendo soluções tecnológicas para otimizar o desempenho de ambientes críticos e de grande complexidade. A empresa conta com profissionais altamente qualificados, com a expertise necessária para desenvolver e implementar a transformação digital na sua empresa.

Quer começar esse processo hoje mesmo? Entre em contato conosco e saiba como dar início.